Nova sanção da UE contra a Rússia atinge criptomoedas

O mundo ainda vive alguns movimentos decorrentes da guerra no Leste Europeu entre Rússia e Ucrânia. Entre elas, a União Europeia que segue com sanções para tentar evitar novas ameaças.


Todas as sanções aplicadas tem como objetivo evitar que a Rússia possa enviar dinheiro para o exterior, principalmente como induzimento de guerra. Nesse sentido, desde o início a União Europeia tem atuado no caso.


Ainda em fevereiro, a UE já havia impedido transações de alguns indivíduos, com alguma ligação com o problema mundial. Entretanto, não está perto de acabar o trabalho do mundo inteiro contra novas investidas.


Dessa vez, o pacote de sanções ficou maior e, em geral, atingiu diretamente o mercado de criptomoedas. Em geral, pode ser uma das mais efetivas se o objetivo for de fato evitar transações com o país.


Ao que tudo indica, ainda no primeiro semestre de 2022 a União Europeia deve enviar novas sanções e até medidas mais firmes, para evitar qualquer brecha do país.


Atual sanção contra contra criptomoedas


Nesse pacote, a sanção direta contra criptomoedas está na proibição de realizar depósitos em carteiras de criptomoedas. Ou seja, o usuário teria um impedimento a mais.

Hoje, uma carteira de criptomoeda que possui chave criptográfica permite que o usuário consiga transferir, receber e pagar em criptomoedas. Com isso, o foco é retirar o acesso para essa senha individual.


A medida gerou um grande burburinho no mundo inteiro, principalmente é claro no lado Russo. Entretanto, não parece que a UE pretende voltar atrás, de acordo com uma executiva da Comissão Europeia:


"Isso contribuirá para fechar brechas em potencial", disse.


Com isso, entende-se que o grande objetivo do bloco é o de prevenção e não apenas o de repressão. Dessa forma, não deve ser a última medida direta contra as criptomoedas no setor Russo.


Por outro lado, é importante frisar que essas medidas tomadas estão sendo provocadas pelo ocorrido da guerra, e não um ataque contra os ativos em essência. Assim, os investidores agora precisam apenas segurar para evitar prejuízos maiores.


Esse impacto nas criptomoedas na Rússia dificilmente chega a outros países como o Brasil, mas não deixa de ser um estado de alerta. Afinal, boa parte das maiores criptomoedas do planeta realizam transações no mundo inteiro.


Por conta disso, não se sabe ao certo o impacto dessas medidas para as carteiras de criptomoedas e para empresas que atuam diretamente. Além disso, o mercado de criptomoedas já vem atuando em baixa nos últimos meses.


Essa baixa combinada a novas medidas pode resultar em índices preocupantes.


Outras medidas


Como forma de evidenciar que as medidas são para a Rússia e não para as criptomoedas, a União Europeia também emitiu outras medidas importantes, sendo:


A segunda medida imposta foi a de proibição de vendas de cédulas ou valores imobiliários (ações) que estejam em moedas do país. Nesse caso, tanto da Rússia quando Belarus.


Essa é uma medida bastante forte para o país, que atua com bastante firmeza no setor de ações. Além disso, ocorreu ainda uma proibição que não havia sido cogitada, com relação aos bancos tradicionais do país.


Essa medida inclusive evidencia que as sanções estão sendo generalistas, já que agora está proibido por completo que ocorra transações entre quatro bancos russos. Dessa vez, até mesmo o VTB, que representa mais de 20% do setor bancário russo.


Adquira suas criptomoedas e mantenha elas salvas no Trezor, pois é a carteira de criptomoedas offline mais confiável do mercado. A Brazil Electronics tem estoque com entrega imediata no Brasil, não confie nas Exchange online.

...