Como a criptomoeda influencia o conflito Rússia x Ucrânia

Nos últimos dias, ficou impossível acompanhar jornais e redes sociais sem ouvir sobre o conflito armado ocorrendo no leste Europeu. Por se tratar de uma região forte, o mercado como um todo reagiu imediatamente.

Dessa forma, o mercado de criptomoedas não foi diferente, e muitas atenções se voltaram para cá principalmente depois de algumas ações diretas no conflito envolvendo o mercado digital. Por isso, vamos retratar um pouco dessa influência por aqui.


Doações para a Ucrânia

O país atacado pela Rússia sofre com diversos problemas sociais e econômicos desde que o ataque se iniciou. Além disso, a população acaba sofrendo diretamente com o conflito.


Por conta disso, diversas camapnhas de doação foram iniciadas na internet com o objetivo de ajudar o país e as pessoas mais necessitadas.


Vários países enviaram mantimentos, dinheiro, ajuda ou até mesmo tropas para ajudar a região. Da mesma forma, outros países criaram campanhas como bem entenderam que seria o ideal.


O ponto curioso aqui é que o mercado de criptomoedas até então é um dos principais meios de doação para o país, principalmente via Ethereum e Bitcoin. Ou seja, as duas maiores moedas digitais do mercado hoje em dia.


A Ethereum foi a principal moeda usada, recebendo mais de 3 milhões de dólares em doação nos últimos dias, principalmente pela alta que ocorreu recentemente. Assim, os outros 600 mil dólares vieram do bitcoin.


A baixa no uso do bitcoin é responsável principalmente pela baixa da moeda no mercado, que acaba restringindo seu poder de uso. De qualquer forma, o ponto central é que as criptomoedas estão sendo usadas em peso para tentar ajudar o país.


Devolutiva da Rússia contra os EUA

É de conhecimento mundial que desde 2014 o governo norte-americano aplicou sanções proibindo que as pessoas fizessem qualquer negócio com entidades russas. Por isso, até hoje a Rússia amarga um baque enorme na economia.


No atual momento, em meio a tanta estabilidade, a Rússia planeja dar o troco na medida e se blindar contra os Estados Unidos. Além disso, é considerada uma estratégia de guerra.


Proibindo que seus habitantes realizem negócio com americanos, a Rússia impede que os Estados Unidos possa tomar algumas ações financeiras. Outro ponto importante é o meio que será usado: criptomoedas.


A medida é bastante simples: bloquear o mercado de criptomoedas dos Estados Unidos de entrar no mercado russo. Ou seja, os bancos devem fazer verificações completas de usuários antes de autorizar qualquer transação ou negócio.


Dessa forma, acaba proibindo que os habitantes russos movimentem um mercado que é mais livre, menos burocrático e, consequentemente, menos controlável.


Possivelmente, a Rússia investirá em empresas especializadas para ter esse controle de transação com criptomoedas. Afinal, a alguns anos o país já trabalha com esse tipo de controle.


O mercado de criptomoedas no conflito

Além das influências diretas, o mercado de criptomoedas está sendo usado de diversas maneiras no meio de todo o conflito. Além disso, temos também as alterações de valores diárias.


É difícil dizer se alguma moeda se manteve estável, já que todas sofreram muitas variações diretas nos últimos dias. Dessa forma, acaba blindando um pouco o mercado de novos investimentos, principalmente em moedas menos consolidadas.


O bitcoin é um dos principais atingidos em todo esse momento de tensão, não sobrando espaço para se recuperar de fato. Assim, ao que tudo indica, ainda teremos um tempo de instabilidade no mercado e até mesmo uma diminuição de investimentos no setor, até que o mundo esteja em um ambiente menos caótico.


Adquira suas criptomoedas e mantenha elas salvas no Trezor, pois é a carteira de criptomoedas offline mais confiável do mercado. A Brazil Electronics tem estoque com entrega imediata no Brasil, não confie nas Exchange online.

...