Bancos começam a aceitar criptomoedas na Argentina

Mantendo a boa colocação entre os principais países investidores em criptomoedas no mundo, a Argentina deu mais um salto importante nessa integração. Agora, os maiores bancos do país começam a aceitar criptomoedas dos clientes.



Hoje em dia, a Argentina conta com mais de 60% da população afirmando ter interesse na aquisição de criptomoedas. Dessa forma, essa ação dos bancos acaba fortalecendo ainda mais esse quesito.


A adesão dos bancos na verdade é mais uma em uma série de avanços do país, como na última semana, em Buenos Aires. Na ocasião, Horacio Rodriguez, prefeito da cidade, anunciou que iniciaria ações para trazer mais demandas de ativos para a capital.


“Vamos trabalhar no pagamento de impostos, que é a nona medida do nosso plano. Junto com as principais empresas, estamos trabalhando para que quem desejar possa pagar seus impostos com criptomoedas”, afirmou.


Um dos bancos que aderiram a nova medida foi o Brubank, banco digital com regulamentação total do país. Na verdade, a Brubank não chegou a ser exatamente uma novidade, já que os bancos digitais são mais propícios ao novo modelo de negócios.


Assim, o banco passa agora a oferecer acesso aos usuários para uso de Bitcoin, Ethereum, USDC e DAI. Dessa forma, até o final do ano espera-se que boa parte dos usuários já esteja com a nova funcionalidade em mãos.


“Sim, já temos criptomoedas! É uma funcionalidade que está sendo progressivamente habilitada para todos os nossos usuários. Quando você o habilitar, poderá visualizá-lo digitando ‘Investimentos’ no aplicativo”, disse o perfil oficial do banco nas redes sociais.


Banco Galicia vira notícia


Da mesma forma que o Brubank, outro banco que entrou no mercado de criptomoedas foi o gigante Galicia, principal banco privado do país. Assim, agora os usuários podem comprar e vender as seguintes criptomoedas:

  • Bitcoin

  • Ethereum

  • XRP

  • USDC

Ao que tudo indica, trata-se apenas de um teste, e novas criptomoedas devem entrar na lista mais cedo do que se imagina. Para tanto, o serviço é feito em parceria com um provedor de infra para ativos digitais, o Lirium.


Dessa forma, o banco que possui 4 milhões de clientes abre espaço para uma funcionalidade surpreendente para um banco tradicional. Entretanto, nem tudo são flores na nova era para o banco.


Ao que tudo indica, o Galicia cobrará impostos para débito e crédito, e você não pode transferir os ativos para outra carteira de moedas. Ou seja, não permite enviar ativos.

Com isso, podemos entender que o banco entra na briga para ser um grande meio de investimentos em critpomoedas, principalmente para os mais descrentes.


Agora, o que se espera é um movimento natural de outras instituições financeiras, para evitar sair atrás de um mercado já aquecido.


Vantagens da ação


A principal vantagem para o banco é sem dúvidas trabalhar a grande insegurança do público mais desconfiado. Na verdade, talvez aqui seja o grande acerto da instituição: apostar em quem ainda tem dúvidas dos resultados.


Muitos usuários hoje não investem em criptomoedas exatamente por não confiarem em investimentos fora de um banco tradicional. Ou seja, com a mudança, o Galicia passa a ser um local seguro para começar a investir em criptomoedas.


E é exatamente nesse ponto que a instituição trabalhou e vai trabalhar nos próximos meses. Por isso, até 2023 devem surgir novas e melhores funções dentro da plataforma financeira.


Atualmente, a mudança de postura do banco é vista como um divisor de águas para instituições mais tradicionais.


Adquira suas criptomoedas e mantenha elas salvas no Trezor, pois é a carteira de criptomoedas offline mais confiável do mercado. A Brazil Electronics tem estoque com entrega imediata no Brasil, não confie nas Exchange online.

...